Acusado de chacina diz, matou crianças porque choro o irritou

Matéria publicada em: 08/10/2013 às 16:57

NOT-acusado-de-chacina-diz-matou-criancas-porque-choro-o-irritou1381256401_460_259Preso como principal suspeito de cometer uma chacina em cidade Ocidental, Marlon Ferreira, de 20 anos, confessou o crime. Durante a sua apresentação, na manhã desta segunda-feira (7), ele deu detalhes sobre a morte de quatro pessoas da mesma família, inclusive duas crianças, de 2 e 3 anos: “O choro deles me irritou bastante e eu matei”.

À polícia, Marlon relatou que tinha um caso com a mulher assassinada. A vítima é irmã da ex-esposa do suspeito, com quem ele tem um filho de 1 ano. O jovem contou que, no dia da chacina, os dois foram para um bar, beberam e usaram cocaína. Depois, voltaram para a residência, onde as crianças dormiam. O pai delas estava no trabalho.

Ele conta que discutiu com a mulher “por besteira” e a matou a facadas. As crianças acordaram e, ao verem a mãe morta, começaram a chorar. Irritado, ele golpeou as crianças com a mesma faca.

Depois das três mortes, o suspeito diz ter ficado na casa à espera do marido da vítima. “Ele chegou do serviço , se deparou com a cena e aí eu dei um golpe nele”. Ele fugiu com a motocicleta do homem assassinado.

Marlon acabou preso em Ceilândia, cidade do Distrito Federal, em um ponto de uso de drogas. Os policiais chegaram a ele por meio de denúncia anônima. O suspeito foi levado para o Centro Integrado de Operações (Ciops) de Cidade Ocidental.

Incialmente, o delegado Rafael Pareja, responsável pelo caso, havia informado a suspeita do crime ter sido motivado por vingança, pelo fato do suspeito ser ex-marido da irmã de uma das vítimas. Mas, nesta manhã, ele disse acreditar que o fato se deve ao consumo  de drogas.

“Chama a atenção não só a frieza, mas também o fato dele estar drogado o dia inteiro. Provavelmente isso alterou a consciência dele, para que ele pudesse provocar sse absurdo”, diz o delegado. De acordo com Pareja, o suspeito vai responder por quatro homicídios triplamente  qualificados  e roubo.

Chacina

Quatro pessoas da mesma família foram encontradas mortas no dia 30 de setembro, dentro da casa onde moravam, em Cidade Ocidental. Quem encontrou os corpos, já em avançado estado de decomposição, foi o cunhado da mulher, Paulo Batista da Rocha. Ele contou ao G1 que tentou entrar em contato com os parentes durante três dias, mas não conseguiu. Então, ele resolveu ir até a casa onde eles viviam, no Setor Araguaia.

“Quando cheguei até a casa, chamei por eles na porta, mas ninguém atendeu. Então, pulei o muro e ao entrar no lote, senti um cheiro forte. Com um martelo, conseguiu quebrar a janela do quarto e ver os corpos”, descreveu.

FONTE: G1

Comentar no Facebook

Deixe seu comentário

José de Freitas Agora | Copyright © 2010-2012 | Todos os direitos reservados
  • Política de privacidade
  • Contato
  • by Paulo Kampus