Camarotes requintados e suntuosos tiram espaço do folião no “Zé Pereira 2018” de José de Freitas

Nos dias 02, 03 e 04 de fevereiro de 2018 centenas de pessoas vão tomar as ruas e o Centro de José de Freitas para a maior prévia de carnaval do estado do Piauí, o tradicional “Zé Pereira” de José de Freitas.

Propagado como símbolo do carnaval popular e democrático Freitense, esse ano novamente terá transmissão ao vivo por uma  Tv de Teresina, o espetáculo será grandioso com certeza. Mas há outro lado da moeda que não será transmitido. É que a festa popular também é negócio. E os negócios em José de Freitas teimam em desafiar os limites entre o interesse público e os interesses privados que poucas vezes são submetidos à mesma luminosidade do sol que queima os foliões no sábado e domingo de Zé Pereira.

No site oficial da Prefeitura (www.josedefreitas.pi.gov.br) não menciona a divulgação da prévia carnavalesca e muito menos quem está ou qual secretaria é a responsável pela venda dos camarotes privados que já estão sendo instalados no centro tomando o espaço dos foliões.

O espaço privilegiado é a Praça Governador Pedro Freitas onde está sendo montado os benditos Camarotes, a praça é pública, mas o lucro é privado.

É triste mas o tradicional “Zé Pereira” de José de Freitas, conhecido por aglomerar multidões no centro da cidade, em especial na Praça Governador Pedro Freitas, está subindo para os camarotes privados.

A privatização da folia se intensificou desde quando a gestão o “novo tempo” assumiu a administração do município de José de Freitas. A festa popular que antes era livre para todos, neste ano será totalmente diferente, a administração municipal, cedeu o evento para uma empresa privada realizar a tradicional festa popular do povo Freitense.

As críticas dos foliões estão divididas, há os que apoiam a medida, mas também existem aqueles que não concordam coma privatização de uma festa popular.

O tracidional “Zé Pereira” de José de Freitas é uma festa popular centenária conhecida em todo o estado do Piauí, estão tentando tornar a festa do povo Freitense que é famosa pela participação popular em festa privada para uma minoria da sociedade.

Os foliões reclamam que os camarotes ocuparam muito espaço e que por isso têm de se espremer nos pequenos espaços que sobram da festa.

TRANSPARÊNCIA

Onde está a licitação para os camarotes? Onde está o contrato com a empresa que vai ser parceira deste evento cultural e popular? Qual o valor que esta empresa vai receber? Qual a contrapartida do município? Quanto custa cada camarote? Que local é vendido? Qual a participação da Fundação Cultural? Qual Secretaria é responsável por esta PPP? Onde estão os documentos de arrecadação municipal DAM dos camarotes se é que existem? O ISS?

Comentar no Facebook

VIDEOS REPORTAGENS

CURTA NOSSA PÁGINA