Contei 180 furos no meu filho, diz pai de preso que foi decapitado

Matéria publicada em: 10/01/2014 às 08:53

filho-11-300x250eNa última vez em que esteve com o filho, há sete meses, o vendedor de frutas Domingos Pereira Coelho, 58, ouviu a promessa: “Boa noite, pai, amanhã eu volto”.

O reencontro entre pai e filho só aconteceu em dezembro. Dyego jazia na mesa do IML (Instituto Médico Legal) de São Luís, capital do Maranhão. A cabeça estava separada do corpo.

Domingos ainda manteve sangue frio para observar melhor o cadáver. “Contei 180 furos no meu filho, um por um, isso só na parte da frente, porque ele estava de barriga para cima”, afirmou.

Dyego Michael Mendes Coelho, 21, e outros dois presos –Manoel dos Santos Ribeiro, 46, e Irismar Pereira, 34– foram decapitados em rebelião ocorrida no dia 17 de dezembro do ano passado, no CDP (Centro de Detenção Provisória) de Pedrinhas –maior complexo prisional do MA. Um quarto preso morreu a facadas no motim.

Três das vítimas formavam uma mesma família. Ao lado do corpo de Dyego estava o de Manoel, pai de sua namorada. O esfaqueado era Gilson Gleyton Silva, filho de Manoel.

Fonte: Com informações da Folha Online

Publicado Por: Coronel Pinheiro

Comentar no Facebook

Deixe seu comentário

José de Freitas Agora | Copyright © 2010-2012 | Todos os direitos reservados
  • Política de privacidade
  • Contato
  • by Paulo Kampus