Rocha Construções
Matéria publicada em: 19/10/2013 às 01:19

Justiça Federal absolve Robert Freitas de suposto crime de improbidade

robert freitas pequenoTramitou na 5ª vara Federal do Piauí o processo Nº 0009047-41.2012.4.01.4000, de 04/5/2012, ação penal que apurou suposta conduta descrita como crime de responsabilidade (DL 201/67; Lei nº 1.079/50 e Lei nº 5.249/670), conhecidas como leis extravagantes penais, ou seja, leis que estão fora da CF/88 e também fora do Código Penal, praticadas pelo ex-prefeito Robert Freitas.

O procurador Federal Kelston Pinheiro Lages formulou denúncia contra Robert pelo fato de ter o mesmo, segundo o Ministério Público Federal, recebido R$ 321.000,00 (trezentos e vinte e um mil reais) do FNDE para a aquisição de 2 (dois) ônibus do ‘’Programa Caminho da Escola’’ para o transporte do alunos no município de José de Freitas e não teria comprado os ônibus e nem prestado conta dos referidos valores.

Ocorre é que Robert Freitas foi afastado do cargo de Prefeito Municipal em 29/09/2010, não tendo tempo de apresentar suas contas para o TCU, haja vista que o gestor tem o prazo de 3 (três) meses para apresentar os balancetes, como não restou tempo para tal procedimento, o então Prefeito Ricardo Camarço, aproveitando-se de tal situação, reteu toda a documentação que comprovavam a compra dos ônibus e ainda denunciou Robert na Justiça Estadual e Federal.

Já em sede de defesa perante a Justiça, Robert comprovou que não havia prestado contas pelo fato de ter sido afastado do cargo sem tempo suficiente para fazê-lo e que seu sucessor burocratizou retendo escondido toda a documentação. Na justiça Federal Robert provou com dota documentação necessária que havia recebido o referido valor e que teria comprado os dois ônibus que estão servindo para seus devidos fins no município. Portanto estava adimplente com o FNDE, com o TCU, com a população freitense e com a Justiça Federal e Estadual.

A defesa do Robert Freitas acostou aos autos do processo toda a documentação, que não teve outra saída senão sua absolvição sumária nos seguintes termos:

‘’Ante o exposto, acolho as razões aduzidas por Robert de Almendra Freitas em sua resposta á acusação, motivo pelo qual determino a sua ABSOLVIÇÃO SUMÁRIA, nos termos do art. 397, inciso III, do Código de Processo Penal. Intime-se. Cumpra-se’’

O artigo citado pela juíza Federal MARINA ROCHA CAVALCANTI BARROS para absolver Robert Freitas das acusações imputadas, diz que o juiz deve absolver o réu quando os fatos narrados na denúncia evidentemente não constitui crime. Percebe-se que Robert passou pelo constrangimento perante a Justiça Federal pelo suposta prática de algo que nem sequer configura infração penal.

Robert Freitas Pesquisa

Por Paulo Campos

Comentar no Facebook

Um comentário adicionado em “Justiça Federal absolve Robert Freitas de suposto crime de improbidade”

  1. Lino Disse:

    que porra é que tu dizer Francisco Claudio, não dá pra traduzir essa merda ai não. procura alguém pra escrever pra voce.

Deixe seu comentário

José de Freitas Agora | Copyright © 2010-2012 | Todos os direitos reservados
  • Política de privacidade
  • Contato
  • by Paulo Kampus