Obras inacabadas geram prejuízo de R$250mi

Matéria publicada em: 12/02/2014 às 15:37

Cerca de R$ 250 milhões. Este é o montante de perdas estimadas com obras inacabadas do período 2003/2010 que compreende a administração do hoje senador Wellington Dias (PT) no governo do Piauí. Alguns casos foram transformados em ações judiciais pelo Ministério Público, tanto em nível estadual quanto federal, outros ainda carecem de investigação e estão sob análise dos tribunais de contas do Estado e da União. O fato é que há poucos motivos para comemorar a passagem do petista pelo executivo estadual.

O Hospital Getúlio Vargas é um caso emblemático e mostra a forma debochativa como o dinheiro público era utilizado. Em abril de 2009 fez-se uma licitação no valor de R$ 33 milhões para sua reforma. Um ano depois tinham sido aplicados R$ 44 milhões. O dinheiro seria suficiente para construir dois hospitais de urgência com as características do Zenon Rocha, em Teresina. Mesmo assim, a obra ficou inacabada.

HGV

“Podemos citar os aeroportos internacionais de São Raimundo Nonato e de Parnaíba, o porto de Luis Correia e até a ferrovia Transnordestina, que foi amplamente utilizada como plataforma de divulgação do então governador. Tem ainda o parque Poticabana e do Centro de Convenções, em Teresina, rodovias estaduais no interior.

Aeroporto de São Raimundo Nonato: nunca saiu do papel

Em Parnaíba, o aeroporto internacional João Silva Filho foi inaugurado em março de 2010 sem estar concluído. Foi feita a pista e o terminal de passageiros, mas faltam os sistemas de aproximação. O custo da obra foi de R$ 17 milhões mas está sem utilidade até hoje.

Aeroporto de Parnaíba: vive as moscas, sem voos

Fonte: 180 Graus

Comentar no Facebook

Deixe seu comentário

José de Freitas Agora | Copyright © 2010-2012 | Todos os direitos reservados
  • Política de privacidade
  • Contato
  • by Paulo Kampus