PM vira réu por morte de namorada; decisão saiu no aniversário de Camilla

O capitão da Polícia Militar, Alisson Wattson, virou réu no processo que investiga a morte da universitária Camilla Abreu, assassinada em outubro deste ano. A juíza Maria Zilnar Coutinho Leal aceitou ontem (12) a denúncia do Ministério Público. O PM será julgado pelos crimes de  homicídio qualificado pelo feminicídio, ocultação de cadáver e fraude processual.

A decisão da juíza saiu na mesma data em que Camilla completaria 22 anos de idade, se estivesse viva. Pelas redes sociais, Jean Carlos, pai da vítima, relembrou a morte cruel da filha.

“Hoje era pra minha família está unida. Comendo um bolo ou uma pizza quem sabe. Minha filha comemorando seus 22 anos. Aí aparece um sujeito, esse da foto, capitão da Polícia Militar do Piauí, infelizmente manchando a farda de bons homens que formam a corporação. E sem dó nem piedade tira a vida de uma jovem e a joga no mato como se joga um animal morto. No lugar do coração tem uma pedra. Um monstro, infelizmente”, postou o pai de Camilla.

Além de responder criminalmente, Alisson Wattson é investigado administrativamente e aguarda decisão sobre o destino dele dentro da Polícia Militar. O caso gerou um clamor popular para que o réu perda a farda da PM.

Comentar no Facebook

PUBLICIDADE

VIDEOS REPORTAGENS

CURTA NOSSA PÁGINA