Facec

Promotoria pede absolvição de Darlan por ausência de provas de posse de armas JF

Matéria publicada em: 18/02/2014 às 05:36

darlan-1No último dia 13/02/2013, no fórum Juiz Alberto Veras, em José de Freitas-PI, aconteceu uma audiência de instrução e julgamento referente ao processo nº 0000354-09.2013.8.18.0029, movida pelo Ministério Publico Estadual, que apura a suposta prática de crime contra o Sistema Nacional de Armas, que figura como réu o freitense Darlan Araújo do Nascimento.

Em meados de 2013 Darlan foi preso por ter sido, supostamente encontrado em seu sítio várias armas de grosso calibre, cuja a posse, a materialidade e autoria do crime foi atribuída ao comerciante Darlan.

Na referida audiência foram ouvidas algumas testemunhas de acusação  e o interrogatório do réu, o qual negou que as referidas armas eram de sua propriedade e que não sabia a origem das mesmas, falou ainda que a polícia adentrou em seu sítio sem portar mandado de busca e apreensão.

DARLAN 3

Após a instrução criminal, o próprio representante do Ministério Público, Dr. Ecio Oto, reconheceu a inexistência de provas para a condenação e em sede de alegações finais, requereu a absolvição do réu. O advogado de Darlan, em consonância com a manifestação do douto Promotor de Justiça, requereu a absolvição do acusado por ausência de provas capazes de fundamentar um decreto condenatório.

PROMOTOR DE JUSTIÇA

Com isso, Darlan poderá, caso o Magistrado acate a manifestação do Promotor de Justiça e do advogado de defesa, livrar-se de mais um processo que tramita na comarca de José de Freitas-PI.

Darlan 5

Comentar no Facebook

3 comentários adicionados em “Promotoria pede absolvição de Darlan por ausência de provas de posse de armas JF”

  1. HILTON Disse:

    PALHAÇADA,A POLICIA ENCONTRA AS ARMAS NO SITIO DO DITO CUJO,ELE JÁ FOI ACUSADO DE ASSALTO,TAMBEM DE ASSACINATO COM ARMA DE FOGO! AI VEM O PROMOTORIA FALAR DA AUSÊNCIA DE PROVAS. MANDAR PRENDER CARRO DE SOM E MOTOS ELES SABEM FAZER!

  2. Forasteiro MM Disse:

    O íntimo sentimento da maioria das pessoas é o de que lugar de bandido é na cadeia. Mas a população, que ano após ano vem assistindo ao desmedido aumento da criminalidade – especialmente a violenta, que a atinge direta e imediatamente, e a de gabinete, que a atinge indireta e mediatamente pela falta de ações básicas de saúde, educação e segurança, por causa do solapamento que a corrupção e outros desmandos causam nos recursos públicos -, nota que os bandidos estão mais soltos do que nunca.
    Para os crimes considerados de média gravidade existe uma sucessão infindável de medidas despenalizadoras. Elas vão desde a suspensão do processo mediante algumas condições que, se cumpridas, farão o réu não ser condenado, até a suspensão da execução da pena privativa de liberdade sob algumas condições, passando pelas penas alternativas.

    Existe uma forte corrente, chamada teoria da criminologia crítica, influenciada pelo marxismo ortodoxo, que entende que o fim da criminalidade depende da eliminação das explorações econômica e política das classes menos favorecidas. Além disso, esses teóricos pregam como estratégia de política criminal a despenalização, com a substituição das sanções penais por sanções civis ou administrativas. Atualmente esse pensamento se encontra largamente difundido no meio jurídico e certamente influenciou e continuará influenciando as alterações legislativas e os posicionamentos judiciais, enfraquecendo a necessária repressão à criminalidade que a pena de prisão representa.

  3. RAIMUNDO Disse:

    isso é a verdadeira face do nosso PAÍS infelismente aqui o bandido tem vez e voz…

Deixe seu comentário

José de Freitas Agora | Copyright © 2010-2012 | Todos os direitos reservados
  • Política de privacidade
  • Contato
  • by Paulo Kampus