Ritual noturno assusta e incomoda moradores da zona rural de J.Freitas

Compartilhe...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Banho de jiboiaOs moradores da localidade Boa Viagem, zona rural de José de Freitas ficaram assustados e incomodados com um ritual religioso que aconteceu na noite deste dia 28/09/2013 (sábado), em  um matagal nas imediações das residências dos moradores.

O evento que durou até meia noite foi movimentado ao som de tambores e cantos estranhos aos convencionais além de ser regado por uma espécie de bebida (licor) seguidos de fogos de artifícios (foguetes) e muitas salvas de palmas.

Ao amanhecer os moradores foram ao local conferir o que poderia ter acontecido. No local se depararam com os sinais do evento, velas, copos descartáveis, sacolas plásticas e alguns frascos de umas bebidas de nomes ‘’água de cura’’, ‘’afasta espíritos maus’’, ‘’banho atrativo jiboia branca’’, ‘’caboclo flexeiro’’ entre outras, os participantes também fizeram uma fogueira, supostamente para afastar a escuridão da noite sem lua.

Foto1089

A Constituição Federal garante o direito de todos a seguir qualquer culto religioso, garantia do artigo 5°, inciso VI, o problema é que na região há vários idosos que se sentiram assustados e bastante incomodados com o ‘’batuque’’ dos tambores, os cantos entoados pelos adeptos, salvas de palmas além dos foguetes detonados pelos participantes.

Foto1090

‘’sabemos que todos tem o direito de liberdade de crença, só não entendemos o fato de virem pra um matagal bem perto das casas e tirarem nosso sono e nosso sossego, além de soltarem foguetes e de fazerem uma fogueira que agora pela manhã ainda tinha brasas que com o mato e o tempo seco poderia ter provocado um incêndio perto de nossas casas’’, disse indignado um idoso de 70 anos.

Foto1079

O misterioso é que todos os moradores da localidade são católicos apostólicos romanos, nenhum é adepto de outra religião, e até o momento não sabem quem organizou o ritual e muito menos porque escolheram aquele local (no mato), pra ficarem batendo tambores, soltando foguetes, entoando cantos estranhos, batendo palmas e fazendo bastante barulho justamente próximo às residências dos moradores.

Um dos membros do ritual umbandista procurou a reportagem do JF Agora e informou que um advindo de outra cidade veio pagar uma promessa na referida localidade e que não  houve  foguetes e a fogueira foi para esquentar os tambores.  A promessa foi com uma entidade de nome Pena Branca!

Por Paulo Campos

Foto1089

Foto1090

Foto1079

Foto1

Foto1085

Foto1088

Comentar no Facebook

PUBLICIDADE

VIDEOS REPORTAGENS

CURTA NOSSA PÁGINA